Livros

Resenha: O Diário de Anne Frank

O diário de Anne Frank é um dos meus livros favoritos, apesar dele cortar muito o coração, mas mesmo as histórias tristes tem lá as suas lições. Anne é uma adolescente judia, cheia de anseios, medos e vontades comuns, porém juntamente com a sua família privada de viver uma série de coisas aparentemente simples de uma vida normal, pelo simples fato de ser de origem judaica e por conta de todo o cenário que a 2º Guerra Mundial fez.

Começa como um simples diário, não tão simples pelo fato de ela ter intitulado como seu melhor amigo e ainda dado nome a ele (no caso ela), ela não escrevia como se fosse para si, como usualmente são os diários, ela escrevia em formato de cartas para uma amiga íntima, que ela chamava de Kitty, o que considero bem intrigante.

Espero poder contar tudo a você, como nunca pude contar a ninguém, e espero que você seja uma grande fonte de conforto e ajuda.

Ela ganha o diário no seu aniversário de 13 anos e um mês após os seus primeiros registros, a família Frank se vê obrigada a fugir, não para fora da cidade, mas para um lugar secreto na própria Amsterdã, que era onde moravam, o lugar para onde foram era chamado por Anne de Anexo Secreto – onde viverão escondidos durante dois anos, Anne e mais 7 pessoas, passando por necessidades e medos, sobretudo o medo de serem descobertos. As narrativas se intensificam, conforme a Guerra e seus impactos avançam, e é possível acompanhar alguns detalhes de perto de quem sofreu com a guerra, já que ela descreve o cotidiano com pormenores – vai desde a situação precária quanto a higiene pessoal ao receio de faltar comida.

É totalmente perceptível o quanto ela muda, em virtude dos acontecimentos que foi obrigada a viver ou não viver. E apesar de tudo isso ela é uma jovem incrível, espirituosa, cheia de sonhos e olhava de uma maneira muito bela para a vida, vários trechos me vi tendo uma lição e suaves tapas na cara ao ver uma pessoa numa situação como estava, não há como negar que era desesperador e ainda assim enxergar beleza na vida, acreditar em dias melhores e até mesmo na própria bondade humana.

Eu acredito a despeito de tudo que no fundo as pessoas são boas

Ela chega até me assustar, pois revela uma força e interpretação de vida muito elevada para sua pouca idade, surpreendendo muitas vezes com sua maturidade, claro que tem sim os seus traços de infantilidade, era natural para idade que tinha. Muito geniosa, dona de uma personalidade e vivia em embate consigo mesma por conta do próprio jeito.

Depois durmo com a sensação estranha de que quero ser diferente do que sou diferente do que quero ser

Sonhava em ser jornalista ou escritora, e acredito que jamais imaginaria que teria realizado seu sonho, mesmo partindo tão nova. Uma das minhas passagens prediletas do livro é quando ela diz:

Não quero que minha vida tenha sido em vão, como a da maioria das pessoas. Quero ser útil ou trazer alegria a todas as pessoas, mesmo aquelas que jamais conheci. Quero continuar vivendo depois da morte! E é por isso que agradeço tanto a Deus por ter me dado este dom, que posso usar para exprimir tudo que existe dentro de mim


O enredo nos emociona, a escrita nos envolve, e claro nos apegamos a menina Anne. Infelizmente nesse livro não tem um final feliz, por conta dos motivos que sabemos, a Guerra foi devastadora não tem como não revoltar-se com o tamanho que a crueldade humana pode alcançar. Nós leitores sofremos junto com os personagens e sendo um personagem real a dor é ainda maior. Mesmo assim é um livro que vale muito a pena ser lido.

Livros

Resenha: Mulher V – Cristiane Cardoso (Autora de Casamento Blindado).

Esse foi um dos livros concluídos no mês de maio.
Trata-se de um conteúdo edificante, com uma linguagem bem acessível o livro nos dá orientações importantes de como uma mulher deve ser, agir e portar à luz da Bíblia, pautado especificamente em Provérbios 31, que fala sobre a mulher virtuosa, daí o nome Mulher V.

A autora de uma forma simples e envolvente, elenca características que toda Mulher V precisa ter, abordando temas práticos e cotidianos, e traz uma referência feminina da bíblia para melhor exemplificar cada característica.
Indicado para mulheres que estão em busca de aprimoramento pessoal, e tem profundo interesse em ser uma melhor versão de si mesma.

PS: É um livro cheios de verdades duras e fortes, porém com real sentido em nossas vidas.

Alguns pontos destacados da leitura:

▫️Ela é batalhadora – e uma qualidade de mulheres assim é que elas dependem de si mesmas;
▫️Ela dá um jeito – nós aprendemos a viver com o que temos;
▫️Ela vai em busca de oportunidades – viver é se tornar melhor, é fazer melhor, é crescer;
▫️Ela aprecia – nós determinamos quem somos pela maneira que nos enxergamos;
▫️Ela ajuda – não devemos ajudar ou dar porque esperamos algo em troca e sim porque é a coisa certa a fazer;
▫️Quanto mais você dá aos outros, mais você recebe de Deus;
▫️Ela tem dignidade – uma mulher orgulhosa pode ser respeitada pelo que ela faz, mas nunca pelo que ela é;
▫️Mulheres dignas não tem problemas para se desculpar, a humildade é essência delas;
▫️Ela é doce – É sabia, mas sua sabedoria não faz ninguém se sentir mal, pois ela também é gentil;
▫️A sabedoria tem muito a ver com a maneira com que falamos e com bondade.
▫️Seja uma pessoa doce ao invés de dar o troco na mesma moeda, deixe as diferenças de lado e ponha uma pedra em cima;
▫️Quanto mais você reclama menos você é ouvida;
▫️ Ela é louvada – Uma mulher amarga nunca é atraente, não importa quanta maquiagem use ou quanto peso consiga perder.