Sem categoria

O conto de mel

Mel era uma garota que se obrigou a ser forte, então sempre que algo lhe acontecia, ela se obrigava a reagir de forma que quando olhasse para ela não haveria dúvidas de sua força.

Vestia-se frequentemente de ironia e as vezes de rispidez, e a persona foi se moldando, assim acreditava ela, que esse era o seu verdadeiro eu, “ninguém duvida da minha força ” , ” mais durona do que eu não há “.

Um dia, distraída uma delicada borboleta pousou em seu ombro, ela sacudiu, pois embora não admitisse, odiava apreciar o belo. A borboleta com insistência lá continuou.

Então qual não foi a sua surpresa a borboleta lhe sussurrou:

– Óh doce Mel, quão doce eras, e por ser assim muitos erraram as suas doses, e para se defender você trocou o a descrição do pote, de mel para fel.

E então desapareceu.

Assim Mel pensativa, logo se deu conta de que criar uma versão esquisita de si mesma não iria lhe imunizar das doses erradas da vida, e voltou a ser doce como era, para quem soubesse apreciar, e para quem não soubesse, bem, isso não era problema dela!

Um comentário em “O conto de mel”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s